15/03/21 11:06

NOTA PÚBLICA DE REPÚDIO

✍NOTA PÚBLICA DE REPÚDIO
◾A Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal de Pernambuco (APCEF/PE), vem, publicamente apresentar o seu repúdio, em nome dos empregados da CAIXA de Pernambuco, ao conteúdo da coluna de Cláudio Humberto, com o título “Novo Acinte”, datada de 13 de março de 2021, publicada no Jornal do Commercio.
Em sua coluna, o jornalista se dirige à categoria dos bancários da CAIXA de forma desrespeitosa, vil e covarde, além de demonstrar total desconhecimento da realidade que envolve a categoria dos bancários da CAIXA.
◾Em sua nota, o pseudojornalista se refere aos bancários da CAIXA como oportunistas, malandros e pelegos. Tudo isso porque as entidades que os representam têm buscado o apoio dos diversos atores da sociedade e das autoridades constituídas, para a inclusão nos grupos prioritários para o Programa de Imunização contra a COVID19.
Deixando de lado os termos chulos e ofensivos, vamos aos fatos, que ora se fazem necessários, para que prevaleça a verdade absoluta.
⬛A Caixa Econômica Federal, ao longo da sua existência, e principalmente na era mais recente, tem prestado um serviço de grande relevância para os cidadãos, para as empresas, para as instituições, para os municípios, para os Estados e, porque não dizer, para todo o Brasil.
Poderíamos enumerar diversos programas e linhas de crédito da CAIXA, além dos serviços relacionadas aos programas transferência de renda e inclusão social do Governo Federal, todos prestados por ela, os quais a torna indispensável para a nossa população.
Da mesma forma, os empregados da CAIXA têm cumprido, com grande profissionalismo, a missão que lhes é dada, diariamente, vencendo os mais diversos obstáculos.
A Pandemia do COVID 19, que assola o Brasil e o Mundo, trouxe sérias consequências à saúde da população e à economia dos Países, nos submetendo aos mais difíceis desafios da História recente. Nesse contexto, algumas categorias profissionais têm se destacado, pela entrega no combate à pandemia, auxiliando às pessoas a vencer essa difícil batalha, com destaque maior para os profissionais da saúde.
Porém, uma outra categoria que também merece o respeito e o reconhecimento da população brasileira e das autoridades constituídas é a dos bancários da CAIXA que, nesse momento tão crítico, foram para a linha de frente, colocando a própria vida em risco, se expondo a grandes aglomerações, e garantiram o pagamento do Auxílio Emergencial aos brasileiros, contribuindo, dessa forma, para que as famílias que estão em situação mais crítica, colocassem comida em sua mesa.
⬛Acreditamos que é do conhecimento do pseudojornalista as grandes aglomerações formadas nas agências da CAIXA, durante todo o período de pagamento do Auxílio Emergencial, devido, principalmente, aos números expressivos relacionados à demanda por atendimento presencial, afinal de contas, foram 66 milhões de famílias beneficiadas pelo Auxílio Emergencial em todo o Brasil, além daqueles que tiveram o seu pedido negado pelo Governo Federal.
⬛Não podemos aceitar, em hipótese alguma, uma postura de ódio e de desrespeito desse colunista, a uma categoria profissional que tem cumprido com zelo a sua missão. Tal atitude demonstra total despreparo para fazer parte de um jornal tão tradicional como o Jornal do Commercio.
Diante disso, adotaremos as medidas cabíveis para que haja a reparação pública, em respeito aos empregados da CAIXA, às pessoas e a CAIXA.
Esse é o nosso REPÚDIO.
Recife – PE, 14 de março de 2021

 

Compartilhe